Pegadas N'areia

Dezembro 13 2006
Sei que lês as minhas palavras no silêncio para ficarem como mais uma memória tua, que sonhas com cada imagem criada pela confusão de múltiplos pensamentos vagos onde danço ao sabor do vento, onde te faço nascer do mais simples agitar do vento, onde te desenho com as cores da mais bela tela de amor.
Tentas preencher a vacuidade do teu ser por contornos de ilusões concebidas por ti, por promessas nunca feitas, por juras que nunca ousei exprimir... susurras a cada minuto os teus desejos, os teus sentires...
Esqueces-te que... o mais pequeno grão de areia é um pedaço de ti quando lhe toco, que cada melodia é a tua voz que me grita, que cada tocar é um gesto teu, que tudo tem o teu cheiro, o teu gosto...
A ti...
publicado por PegadasN'areia às 19:13

Porque às vezes tudo nos recorda de quem gostamos.
Tudo se transforma em pequenos pedaços desse mesmo alguém.
Beijinho Grande*
Sofia a 15 de Dezembro de 2006 às 13:26

mais sobre mim
Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
28
29
30

31


pesquisar
 
Pegadas por aí

Contador web
blogs SAPO